domingo, dezembro 5, 2021
spot_img
HomeGamesTCL 20 SE: hardware básico, mas com tela gigante

TCL 20 SE: hardware básico, mas com tela gigante

TCL 20 SE (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

TCL 20 SE (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

No Brasil, a TCL não está entre as marcas mais lembradas quando o assunto é celular Android, mas, com o TCL 20 SE, a companhia tenta mostrar que não é uma mera aventureira no segmento: a generosa tela de 6,82 polegadas e o acabamento brilhante fazem o aparelho chamar a atenção logo de cara.

É claro que esses não são os únicos detalhes que importam. O chip Snapdragon 460, o quarteto de câmeras traseiras — com sensor principal de 48 megapixels — e a bateria de 5.000 mAh também estão aqui para mostrar serviço.

Será que conseguem? Eu testei o TCL 20 SE por três semanas. Nos próximos instantes conto como o modelo se saiu no desempenho, na autonomia de bateria, na qualidade das fotos e em outros quesitos. Me acompanhe.

Análise do TCL 20 SE em vídeo



Aviso de ética

O Tecnoblog é um veículo jornalístico independente que ajuda as pessoas a tomarem sua próxima decisão de compra desde 2005. Nossas análises não têm intenção publicitária, por isso ressaltam os pontos positivos e negativos de cada produto. Nenhuma empresa pagou, revisou ou teve acesso antecipado a este conteúdo.

O TCL 20 SE foi fornecido pela TCL por empréstimo e será devolvido à empresa após os testes. Para mais informações, acesse tecnoblog.net/etica.

Design, acabamento e áudio

Uma coisa que me agrada no mercado de celulares é o fato de, se não todas, a maioria das marcas lançar aparelhos que fogem da tradição do preto. O TCL 20 SE leva essa ideia a sério: ainda que escura, a traseira do modelo é feita de um plástico que divide a superfície em dois segmentos com aparência metálica brilhante. Pelo menos “ao vivo”, o efeito é muito interessante.

O efeito de divisão na traseira do TCL 20 SE é muito interessante (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

O efeito de divisão na traseira do TCL 20 SE é muito interessante (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

A moldura do dispositivo é bem firme, característica que contribui para deixar o TCL 20 SE relativamente pesado: ele tem 206 gramas. Esse detalhe, quando somado à superfície um tanto lisa da traseira, pode fazer o celular escapar mais facilmente da mão. Ao menos a embalagem do produto inclui uma capa de silicone.

Enquanto a lateral direita concentra o botão de liga / desliga e os controles de volume, a esquerda abriga a gaveta de chips e um botão físico para o Google Assistente.

Botão para o Google Assistente (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Botão para o Google Assistente (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Duas observações aqui: a gaveta suporta dois SIM cards ou um SIM card mais um microSD de até 256 GB; eu adoraria usar o botão do Google Assistente para disparo de câmera, por exemplo, mas não é possível configurar o componente para outras funções.

Gaveta de chips do TCL 20 SE (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Gaveta de chips do TCL 20 SE (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Só para constar, a lateral superior traz conexão para fones de ouvido e um orifício para microfone. Na inferior encontramos uma porta USB-C, como esperado.

Por ali também encontramos uma saída de áudio, à direita, que faz par com o alto-falante no topo do aparelho. Juntos, ambos os componentes proporcionam um som claro. O problema é que o áudio tende a estourar nos níveis mais altos de volume. Vá de fones de ouvido para uma boa experiência sonora.

A saída de som fica à direita (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

A saída de som fica à direita (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

O CTL 20 SE (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

O CTL 20 SE (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Voltemos à traseira por conta de um detalhe. Hoje, boa parte dos smartphones traz leitor de impressões digitais integrado à tela, mas não é o caso aqui. No TCL 20 SE, o componente aparece na traseira, perto das câmeras. E ele trabalha bem: a leitura às vezes é um pouco demorada, mas quase sempre funciona na primeira tentativa.

Tela

Não dá para negar que a tela é a característica mais chamativa do TCL 20 SE. O painel é do tipo IPS LCD e tem 6,82 polegadas de tamanho. Como o visor tem formato 20,5:9, a impressão que se tem é a de que o componente é esticadão.

Além das dimensões generosas, a tela agrada por ter brilho forte, de até 450 nits, oferecer boa visualização sob ângulos variados e exibir cores vívidas. Em parte, isso é mérito do NXTVision, recurso que conhecemos no review do TCL 10 SE e que ajusta contraste e nitidez automaticamente.

A tela é gigante, mas a resolução é apenas HD (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

A tela é gigante, mas a resolução é apenas HD (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

O NXTVision também permite que você configure a temperatura da tela e traz um modo de leitura que deixa o painel em preto e branco e com um tom quente — esse recurso lembra a tela de um Kindle.

Mas existe um detalhe que desagrada: a resolução é de apenas 1640×720 pixels. Essa característica não te impede de aproveitar bem o celular, mas uma tela grande como a que encontramos aqui merecia ser pelo menos full HD.

O modo de leitura do TCL 20 SE (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

O modo de leitura do TCL 20 SE (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Software

No 20 SE, a TCL não seguiu o movimento de deixar o Android tão puro quanto possível. O modelo sai de fábrica com o Android 11 e uma interface cheia de recursos implementados pela fabricante.

O NXTVision é um deles. O recurso é um aplicativo que faz ajustes em vários parâmetros da tela, como você já sabe. Há outros que cumprem funções triviais: player de vídeo, bússola, gravador de áudio, rádio, gerenciador de arquivos e assim por diante.

Também encontramos vários recursos úteis na área de notificações, como gravador da tela, um modo que diminui virtualmente o tamanho do visor para uso do celular com uma mão e a função de economia de dados.

Interface do TCL 20 SE (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Interface do TCL 20 SE (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

A organização dos aplicativos também é interessante, pois eles são classificados em categorias. Se você não gostar disso, tudo bem, dá para mudar o modo de organização no botão posicionado no topo direito da tela.

Outro recurso útil é uma discreta barra lateral que, quando expandida, dá acesso rápido a contatos, apps preferidos e a uma régua virtual (!!!).

Tudo isso pode fazer a interface do TCL 20 SE parecer poluída, mas, no fim das contas, é provável que esses recursos sejam convenientes para a maioria dos usuários.

Câmeras

Módulo de câmeras traseiras (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Módulo de câmeras traseiras (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

O módulo traseiro de câmeras do TCL 20 SE segue o estilo semáforo. São quatro sensores. De cima para baixo, o primeiro tem 2 megapixels e faz fotos macro, o segundo tem 5 megapixels e lente grande angular, o terceiro tem 48 megapixels e consiste no sensor principal e o quarto tem 2 megapixels e ajuda a registrar imagens com fundo desfocado.

Olha, a câmera de macro até cumpre o seu trabalho, mas ela é muito simples. Problemas de baixa definição são frequentes aqui. Já a câmera de profundidade trabalha com a principal para te ajudar a deixar o fundo da cena desfocado, como tem que ser.

Foto macro (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Foto macro (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Fundo desfocado (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Fundo desfocado (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

As câmeras que mais interessam são a grande angular e a principal. Quando as condições de iluminação são boas, a primeira consegue fazer registros com fidelidade de cores, bom controle de ruídos e, claro, um campo de visão maior. Mas, quando você amplia a imagem, percebe que a definição não é das melhores. Um sensor com mais megapixels faria a diferença aqui.

Pelo menos a câmera principal é esforçada. Embora não entregue resultados primorosos, ela pode fazer registros com um nível bem mais interessante de detalhamento, cores fortes, mas sem excesso de saturação, e controle adequado de ruído.

Câmera principal (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Câmera principal (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Grande angular (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Grande angular (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Câmera principal (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Câmera principal (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Grande angular (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Grande angular (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Câmera principal (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Câmera principal (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Grande angular (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Grande angular (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Isso se as condições de iluminação ajudarem, é claro. Em cenas noturnas, a definição cai bastante e o ruído aparece com vontade.

Câmera principal, cena noturna (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Câmera principal, cena noturna (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Sobre a câmera frontal, ela tem 13 megapixels e consegue fazer selfies com um nível aceitável de detalhamento. Só não conte muito com o modo retrato. Com ele, não é difícil o desfoque de fundo falhar em algum ponto.

Selfie com o TCL 20 SE (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Selfie com o TCL 20 SE (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Hardware e bateria

Temos a tendência de associar celulares grandes a hardware potente, mas nem sempre esse é o caso. O TCL 20 SE é prova disso. O aparelho tem 4 GB de RAM e 128 GB para armazenamento de dados, quantidades que condizem com celulares de faixa intermediária. Porém, o processador é o Snapdragon 460.

A gente não está falando de um chip ruim, mas ele não tem muito poder de fogo. Netflix, Chrome, Gmail, YouTube, Spotify, Instagram e app de câmera foram exemplos de tarefas que rodaram sem lentidão ou travamentos. Por outro lado, você pode notar engasgadas ocasionais na alternância entre aplicativos ou alguma demora na resposta a comandos.

Jogos como Breakneck e Asphalt 9: Legends rodaram bem, mas, neste último, deu para notar queda na taxa de frames, mesmo com as configurações gráficas em nível médio.

TCL 20 SE (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

TCL 20 SE (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Isso tudo sugere que o TCL 20 SE dá conta das tarefas mais comuns do dia a dia e de jogos leves, mas em seu próprio ritmo. Não espere desempenho notável nessas atividades.

Já a bateria, com seus 5.000 mAh, tem um pouco mais de fôlego. Os testes do componente foram feitos com duas horas de vídeo na Netflix e brilho máximo na tela, meia de YouTube nas mesmas condições, uma hora de uso de Chrome e redes sociais, uma hora de Spotify via alto-falantes, 15 minutos de Asphalt 9: Legends e uma chamada de dez minutos.

Os testes começaram pela manhã com 100% de carga e foram feitos ao longo do dia. Por volta das 22:00, a bateria ainda tinha 48%.

O tempo de recarga de 5% para 100% com o carregador que acompanha o produto foi de mais ou menos 2h30min.

TCL 20 SE: vale a pena?

Gaveta de chips do TCL 20 SE (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Gaveta de chips do TCL 20 SE (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

O TCL 20 SE é um celular que tem pontos importantes a seu favor: a tela ampla, a despeito da resolução apenas HD, o visual caprichado, a boa autonomia de bateria e um software que, embora pareça ser um pouco poluído, traz um conjunto útil de recursos.

É verdade que as câmeras não impressionam e o que processador não tem muita potência. Apesar disso, esses componentes cumprem o seu dever. Não com excelência, mas cumprem, de modo que o smartphone pode ser uma boa opção para quem está à procura de um celular para atividades básicas e que tenha uma tela grande como bônus.

Mas é preciso tomar cuidado com o preço. O TCL 20 SE foi lançado no Brasil custando por volta de R$ 2.000. É claro que ele não vale tudo isso. Por valores próximos a esse você pode encontrar o Moto G60 ou o Galaxy A52, por exemplo, que têm hardware melhor.

O TCL 20 SE só vai valer a pena se você encontrar um bom preço por ele, de preferência, um valor abaixo de R$ 1.500.

Especificações técnicas

  • Tela: IPS LCD de 6,82 polegadas, formato 20,5:9, resolução HD (1640×720 pixels), 263 ppi, brilho de até 450 nits
  • Processador: octa-core Snapdragon 460 com GPU Adreno 610
  • RAM: 4 GB
  • Armazenamento: 128 GB expansíveis com microSD de até 256 GB
  • Bateria: 5.000 mAh
  • Câmeras traseiras:
    • Principal: 48 megapixels, f/2,0
    • Grande angular: 5 megapixels, f/2,2, 115 graus
    • Profundidade: 2 megapixels, f/2,4
    • Macro: 2 megapixels, f/2,4
  • Câmera frontal: 13 megapixels, f/2,0
  • Conectividade: 3G, 4G, Wi-Fi 802.11n, Bluetooth 5.0, NFC, USB-C, dual SIM, conexão para fones de ouvido
  • Sensores: GPS, Glonass, acelerômetro, bússola, proximidade, luminosidade, impressões digitais na traseira
  • Sistema operacional: Android 11
  • Dimensões: 172,08 x 77,14 x 9,1 mm
  • Peso: 206 g

TCL 20 SE: hardware básico, mas com tela gigante

- Advertisment -spot_img

Ultimas Notícias