sexta-feira, junho 18, 2021
Home Games Deepfake engana políticos ao ser usado em chamada de vídeo

Deepfake engana políticos ao ser usado em chamada de vídeo

O uso de chamadas de vídeo facilita a comunicação à distância, mas também abre espaço para práticas enganosas. Foi o que confirmaram parlamentares do Reino Unido, Letônia, Lituânia, Estônia e Holanda. Nos últimos dias, eles foram enganados pelo deepfake de um opositor russo durante reuniões virtuais.

À esquerda, Leonid Volkov; à direita, o deepfake usado na chamada (Imagem: Reprodução/Twitter)

À esquerda, Leonid Volkov; à direita, o deepfake usado na chamada (Imagem: Reprodução/Twitter)

Os políticos pensavam estar conversando com Leonid Volkov, chefe de gabinete do opositor russo Alexei Navalny. No entanto, tudo não passava de um filtro usado por um homem que fingiu ser Volkov. No caso da Letônia, por exemplo, o uso do deepfake só foi descoberto semanas depois da reunião.

O presidente do comitê de relações exteriores do parlamento letão, Rihards Kols, confirmou ter sido vítima do golpe. Para demonstrar a semelhança, ele publicou no Twitter uma foto de Volkov e uma captura de tela de quem apareceu na chamada de vídeo. O político afirmou ter discutido a situação de presos políticos russos e da anexação da Crimeia à Rússia.

“Uma lição bastante dolorosa, mas talvez também possamos agradecer a esse falso Volkov por essa lição para nós e para os colegas da Lituânia e da Estônia”, afirmou Kols, segundo o The Guardian. “É claro que a chamada decadência da verdade ou era da pós-verdade tem o potencial de ameaçar seriamente a segurança e a estabilidade de países, governos e sociedades locais e internacionais”.

O presidente do comitê de relações exteriores do parlamento britânico, Tom Tugendhat, acusou o presidente da Rússia, Vladimir Putin. “O Kremlin de Putin é tão fraco e amedrontado com a força de Navalny que estão realizando reuniões falsas para desacreditar a equipe de Navalny”, publicou Tugendhat no Twitter.

Em comunicado, o parlamento holandês confirmou que seu comitê de relações exteriores realizou uma chamada de vídeo com o falso Volkov na quarta-feira (21). “O comitê recebeu a confirmação de que a conversa não foi conduzida com o próprio Volkov, mas com alguém se passando por ele”, afirmou. “A Câmara dos Representantes está examinando como tais incidentes podem ser evitados no futuro”.

Baixa resolução contribuiu com deepfake

Segundo Rihards Kols, a chamada de vídeo foi marcada após receber um e-mail de alguém que se passava por Volkov. O parlamentar letão afirmou que só percebeu que havia sido enganado semanas depois, quando colegas ucranianos comentaram sobre o deepfake do chefe de gabinete do opositor russo.

Aparentemente, um dos fatores que contribuíram para o golpe foi a baixa resolução das chamadas de vídeo. Com menos definição, os indícios de que a imagem se tratava de um deepfake teriam ficado menos visíveis e passado despercebidos pelas equipes dos parlamentares enganados.

O verdadeiro Volkov acusou a dupla russa Vovan e Lexus, apelidos de Vladimir Kuznetsov e Alexei Stolyarov, pelo uso do deepfake. Os dois são conhecidos por aplicar trotes em vários políticos. Ao Guardian, Stolyarov não negou ter conversado com Kols e se limitou a dizer que “manteria em segredo”, mas disse não ter usado um filtro para se parecer com Volkov.

Com informações: NL Times.

Deepfake engana políticos ao ser usado em chamada de vídeo

- Advertisment -

Ultimas Notícias